• ES
  • EN
  • PT

CARREGANDO UMA UNIDADE DE TRANSPORTE COM AIRBAGS

 

 

Hoje, partilhamos, convosco, um vídeo que mostra como os trabalhadores do nosso armazém realizam o carregamento de uma unidade de transporte.

 

Instalamos no espaço vazio, entre paletes, airbags para evitar o deslocamento de mercadoria durante o transporte.

 

Através desta solução reduzimos a probabilidade de avarias no produto, ocorridas durante o transporte.

 

É frequente aplicar esta solução em transportes de larga distância (Overseas) ou para produtos de elevado valor.

 

Aumentamos, com este processo, a qualidade do serviço realizado.

Qual é o seu conhecimento sobre o significado do termo ATEX?

Atex – Atmosferas Explosivas.

Hoje, introduzimos na nossa pagina web, um vídeo muito interessante, no qual Marta Mendoza responde a perguntas sobre este tema.

Marta é especialista em legislação sobre armazenamento de produtos químicos. Atualmente, e atua como diretora comercial e tem mais de 10 anos de experiência profissional, assessorando o setor.

 

A UE PROMOVE A DIGITALIZAÇÃO NO TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A União Européia reiterou no mês passado sua posição sobre uma proposta para o uso de informações eletrónicas no transporte de mercadorias.

 

Todas as autoridades públicas devem aceitar as informações transmitidas eletrónicamente em plataformas certificadas sempre que as empresas optem pela apresentação em formato digital em conformidade com os requisitos legais.

Contudo, se preferirem, podem continuar a apresentar as informações solicitadas em papel.

 

Um dos objetivos será conseguir que um sistema interaja com outros sistemas informáticos, assim como criar soluções para troca de informações.

 

Para garantir que as regras sejam aplicadas uniformemente, também haverá procedimentos comuns e regras detalhadas para o acesso a essas informações e o seu tratamento pelas autoridades, de acordo com El Vigía.

 

Um dos obstáculos é a pouca aceitação dos documentos eletrónicos pelas autoridades oficiais e a utilização de documentos em suporte de papel utilizada pela maioria das empresas de transportes

Não existe um quadro jurídico coerente e é utilizado um grande número de sistemas informáticos diferentes e não interoperáveis.

 

Este será um grande passo para a digitalização do setor. Economizará tempo e dinheiro e será benéfico para o meio ambiente, de acordo com o Conselho da UE.

 

Fonte: El Vigia

Em Portugal, esta prática está em vigora desde 2013.

A tramitação eletrónica entre os agentes económico e a autoridade fiscal é eficiente (rápida). A supressão do papel ainda não foi conseguida uma vez que para alguns produtos (ex: ADR) continua sendo necessário o suporte em papel.

(O nosso ERP , em Portugal, está certificado na Autoridade Tributária Portuguesa).

 

PORQUÊ EXPORTAR PARA MARROCOS?

O mercado Africano apresenta necessidades diferentes e Espanha é um país muito competitivo quando se trata de satisfazê-las, devido à sua proximidade geográfica.

Essas necessidades podem variar dependendo dos setores, por exemplo, o setor mineiro ou agro-alimentar precisa de materiais, máquinas e equipamentos. Por outro lado, o setor de turismo, telecomunicações ou energia tem outras necessidades que as empresas espanholas podem satisfazer graças ao seu progresso e especialização no desenvolvimento desses serviços e tecnologias.

A realçar é que Marrocos é um mercado em expansão com crescimento contínuo. Portanto, exportar para este país pode ser uma escolha muito interessante para as empresas. Algumas das vantagens oferecidas pela exportação neste mercado são a possibilidade de beneficiar do “Acordo de Associação Euromediterrânico UE-Marrocos”, que consiste na eliminação gradual das tarifas. Desde que este acordo foi aprovado, tem havido um aumento constante no número de empresas espanholas que querem exportar para este país. Além disso, Marrocos também beneficia de fundos europeus alocados a países vizinhos, o que é uma oportunidade de negócio.

Abaixo, apresentamos uma tabela onde aparecem os principais países importadores e exportadores de Marrocos:

Ano 2017
Importação Total Exportação Total
Espanha US $ 9 biliões França US $ 5,57 biliões
França US $ 4,64 biliões Espanha US $ 5,46 biliões
China US $ 3,14 bilhões Alemanha US $ 1,16 biliões
Alemanha US $ 2,34 biliões Italia US $ 1,13 biliões
Italia US $ 2,11 biliões EEUU US $ 1,09 biliões

 

Como podem verificar, Espanha é o principal importador do país.Quanto aos produtos mais importados, destacam-se os seguintes:

• Refinados de Petróleo

• Carros

• Gás

• Peças Sobressalentes

• Trigo

 

Fonte: OEC (O Observatório do Complexo Econômico)

 

Queremos também partilhar alguns dados a considerar, se quiserem exportar para Marrocos: https://bit.ly/2U6OFDj

 

População 35,22 milhões de habitantes
PIB US $ 118,18 milhões
IVA 20 €
Regime governamental Monarquia constitucional com parlamento eleito
Moeda Dirham
Capital Rabat
IPC 2,40%

Graças à modernização do país, ao seu crescimento sustentado e à sua proximidade, Marrocos torna-se um destino atrativo que representa uma boa oportunidade para as estratégias de internacionalização das empresas espanholas. Marrocos não é apenas um bom mercado para exportar, mas também para estabelecer um relacionamento duradouro a longo prazo e aproveitar seu potencial como fornecedor de matérias-primas.

QUE MUDANÇAS NOS INCOTERMS DE 2020?

Hoje queremos abordar um tema que todo importador e exportador deve ter conhecimento: as mudanças nos incoterms no próximo ano.

A cada 10 anos é feita uma revisão dos incoterms, com o objetivo de  melhorar as negociações e facilitar os processos de comércio internacional.

Os novos incoterms de 2020 já estão sendo elaborados pela Câmara Internacional de Comércio (ICC). Esta organização é composta por empresas e câmaras de comércio de diversos países que se dedicam ao comércio internacional. No último trimestre de 2019 serão publicadas as mudanças,  tornando-se efetivas a partir de janeiro de 2020. Destacamos que pela primeira vez participaram, neste comité,  representantes de China e Austrália dando o seu contributo para a  redação dos futuros incoterms.

Considerando que é um tópico muito importante, criámos este artigo para o alertar para algumas das as alterações mais relevantes:

 

1. Incoterms que são eliminados

  • No caso de Incoterms DDP e EXW, são eliminados devido às contradições que apresentam com o código aduaneiro atual.
  • No caso do incoterm da FAS, é eliminado devido ao pouco uso que lhe é dado.

2. Incoterms que se desdobram

  • DDP levará a DTP e DPP

O incoterm do DDP será dividido em dois incoterms diferentes:

O incoterm DTP será usado quando a mercadoria é entregue num terminal aduaneiro.

O incoterm DPP deve ser usado quando a entrega é feita em qualquer ponto que não seja um terminal aduaneiro.

Em ambos os casos, as despesas alfandegárias serão suportadas pelo vendedor.

 

  • FC

O incoterm do FCA, na nova edição de 2020 será dividido em dois, um para o transporte terrestre e outro para o transporte marítimo.

 

3. Novo incoterm da CNI é criado

Incoterm CNI  (custo, seguro e método) clarifica a responsabilidade do vendedor / exportador na subscriçao de um seguro internacional, atribuindo ao comprador / importador a contratação do frete de transporte (comparável com os as designações FOB e CIF).

 

Para mais informções pode consultar os seguintes links: